Mafalda me entende

| por Paulo Moraes |




Sou um Mafaldiano! É incrível como essa meiga criança pode ainda explicar o que acontece em nosso tempo. Criada pelo cartunista Quino, Argentino, nos anos de 1960, foi um dos grandes símbolos de resistência à Ditadura Militar Argentina.


Esta menina é de uma genialidade fantástica, filha de um casal da classe média argentina e cercada de amigos muitos especiais. Ela consegue entender o funcionamento do mundo em que está inserida, mas sem perder a ingenuidade de sua idade.



Ela traz esperanças em momentos de ilusão. Ao ver o Livro Toda Mafalda (1982) é possível continuar acreditando nas mudanças, mas tendo a certeza que a mudança não será impelida pela liberdade individual, aonde o indivíduo precede o todo e sim que a Liberdade é o diálogo constante entre o indivíduo e o todo, pois não há indivíduo sem todo e vice versa. Enganam-se aqueles que acham que possam existir coisas soltas no mundo, sem História.




Não há nada neutro, camaradas. Como diz a propria a Mafalda e sendo assim eu assino em baixo "A arte está com Defeito!".



E esta é uma ótima referência a ser passadas as crianças que estão a crescer, ao contrário do infatilóide e alienante Turma da Mônica.

3 comentários:

19 de fevereiro de 2010 20:13 Cléo Emidio disse...

Boa lembrança a Mafalda!!
Achei sua linha de raciocinio bacana. Em tempos de descrédito das causas de transformação social cai bem um texto como esse.

21 de fevereiro de 2010 11:02 Catharino disse...

Caro Paulo, gosto muito da Mafalda,porém prefiro não me ater apenas a sua época e momento histórico. Entendo o fato de sua imagem estar presente em quase todos os textos dos movimentos sociais, mas ao menos poderiam não utilizar tanto as mesmas imagens, pois parece que vcs só conhecem uma tirinha de Mafalda, por incrível que pareça, é a mesma do final do seu texto!!!

22 de fevereiro de 2010 06:05 Paulo Moraes disse...

Por que ela vai além da imagem, seu significado se transporta a diversas realidades do presente. Por isso a insistência nessa tira por todos nós que acreditam que Basta desse mundo.

Postar um comentário