Pelo fim dos Estaduais

Estamos chegando ao fim dos torneios estaduais de Futebol pelo Brasil, já temos alguns campeões (Coritiba/PR e Cuiabá/MT) e os demais se aproximam da fase final, que além do Título ainda garantem aos clubes, principalmente aos menores, uma vaga na Copa do Brasil do próximo ano. Mas existe outra observação a ser feita sobre os atuais torneios estaduais; o seu péssimo desempenho técnico, mas principalmente financeiro, assim creio que este modelo de torneio chegou ao seu limite histórico, ou seja, ele não ajuda mais os grandes clubes e por cima prejudica os pequenos que poderiam se beneficiar da sua manutenção.

Os campeonatos estaduais são a base do nosso futebol organizado, pois com um país de tamanho continental, como é o nosso caso, em tempos em que a comunicação de alta velocidade e a facilidade de trânsito pelo país não existiam, cabia a estes torneios a formação dos nossos primeiros craques. No entanto devido a tais questões estruturais é que ocorre também a concentração do nosso futebol em apenas algumas regiões, ou para ser mais exato, em apenas alguns Estados de nossa Federação.

O Brasil sempre teve um problema, sua unidade federativa é baseada nos interesses das elites e não numa unidade cultural (no sentido mais amplo que esta palavra pode ter), assim não somos “O Brasil” e sim “Os Brasil’s”, em que cada região, cada estado e cada município tem sua individualidade, que em dialogo entre essas diferenças se faz O Brasil, mas infelizmente esta não é nossa realidade. Somos um país forjado por uma elite mesquinha, que se transformou ao longo de nossa História, no entanto mantém sua mesquinhez até os dias atuais, e nosso melhor exemplo é o nosso Futebol.

Como somos o País do atraso, em que apenas uma pequena elite faz frutos das “benesses” do capitalismo, nosso Futebol também foi afetado com isso. Construímos a idéia que apenas o Campeonato Paulista e Carioca são torneios de interesses nacionais, para os demais apenas torneios de caráter regional, e porque será que isso ocorreu e ainda ocorre? Isto parte da centralização do Brasil em apenas dois Estados, de um lado o mais Rico e do outro lado a Eterna Capital Brasileira, que “coincidentemente” construíram a dita “Imprensa Nacional”.

Os torneios estaduais também têm outra importância para nosso Futebol que é a de manter o todo poderoso Ricardo Teixeira e seu grupo à frente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) por mais de 20 anos. Pois como nosso Futebol não é nacionalizado e sim regionalizado é fácil para que parasitas assumam a direção de Federações e construam o lobby para que os times sejam obrigados a jogar tais torneios, mesmo que estes não valham mais a pena. Do outro lado temos dirigentes de clubes que não tem qualquer interesse no nosso Futebol e sim apenas na acumulação de riqueza e de visibilidade, como o Sr Andrés Sanches e a Srª. Patricia Amorim.

Então chega a hora de colocar o Futebol Brasileiro em debate, qual deve ser o seu Futuro? Acredito que como as coisas estão não é possível permanecer, pois estamos desperdiçando a grande Chance de ter o Maior Torneio de Futebol do Mundo em nosso ilustre país. Temos um tempo bom para fazer este debate, pois com a manutenção do monopólio do Futebol pela Rede Globo de Televisão até 2015 não temos muito que fazer no curto prazo para mudar a situação atual, no entanto é tempo suficiente para dialogar com quem acredita que podemos ter de Fato o Melhor Futebol do Mundo.

Assim teremos uma nova coluna, que leva o título deste texto, para debater o Futebol Nacional, e isso significa pensá-lo no todo e na parte, sem subjugar ou enaltecer um dos dois. Escreverei uma vez por mês nesta coluna, mas fica aberto o espaço para quem quiser pensar o Futebol Brasileiro com a gente.

1 comentários:

2 de maio de 2011 08:22 Carlos Cesar disse...

escrevi um texto meio confuso que trata sobre o mesmo assunto e publiquei no meu blog..
quem sabe, goste da abordagem o do conteúdo..
saudações

http://cesarbuono.blogspot.com/2011/04/e-o-futebol.html

Postar um comentário