Minhas comunidades: Danielli Gomes




Autora: Danielli Gomes 

Sou uma fanática confessa pelas redes sociais. Fato. Participo de, pelo menos, umas dez. Claro que meu objetivo não é de agregar o maior número de ‘amigos’ possíveis, nem ser a criatura mais popular. É apenas de encontrar pessoas com diferentes interesses em diferentes redes.


Particularmente no Orkut, algumas pessoas tendem a manifestar a sua profunda solidão social. Ter 1000 pessoas adicionadas em três ou mais perfis é, como é de se supor, um tanto surreal. Acredito que seja impossível dar conta de todos os contatos, uma vez que as amizades na internet não são mais populosas do que na vida real. Enfim, não vim aqui para falar sobre comportamento, nem sobre mim, tampouco sobre o efeito que essa rede causa na vida das pessoas. 



Quero relatar meu apreço por algumas comunidades das quais faço parte. Se me assusto com alguns demasiados números de contatos em perfis alheios, não me intimido tanto quando vejo grandes quantidades dessas belezocas que vez por outra me fazem chorar de rir com seus títulos ou descrições inusitadas. E em meio a tantas coisas, o que me deixa triste é a vulnerabilidade do Orkut. Tantas comunidades gigantescas que caíram no gosto dos seus usuários foram roubadas, transformadas em algo do tipo “Pegue na minha Tindola” e continuam ativas.  Conversas a parte, vamos as Minhas Comunidades:



1ª Comunidade:       "Xilogravura" A Imagem gravada


Descrição:  Comunidade para todos artistas e gravadores, que usam a linguagem da xilogravura como meio de expressão.
"Nunca sacrifiquei a qualquer modismo o meu próprio eu - caminhada dura, mas a única, que vale todos os sacrifícios."  Goeldi


 Molde do Xilo


Ano passado aconteceu um projeto realizado pelo CUCA intitulado de Lua Cheia. A noite que eu participei foi contemplada com o tema Literatura de Cordel. Não imaginava que poderia ter sido tão maravilhoso e fantástico quanto foi. Ver todos aqueles repentistas, cordelistas e xilógrafos reunidos foi uma sensação ímpar. Embora aquela não fosse a minha primeira experiência com esse universo, a forma como todos estavam reunidos, como se estivessem na varanda de suas casas, contando causos, toda aquela cantoria e a resposta do público, me deixou em êxtase. Além de Franklin Maxado, estavam presentes muitos outros cordelistas e xilógrafos. Mas, em especial um deles chamou mais a minha atenção. Seu Luiz Natividade estava timidamente a explanar e exemplificar na prática, como se confecciona um molde para fazer a xilogravura. Minha curiosidade exacerbada não me deixou ficar quieta num canto e logo fui me aproximando. Estratégia perfeita. Ganhei um molde muito fofo com meu nome (que está escrito errado) e fiquei toda boba. Depois que Natividade ficou um pouco mais sossegado, conheci um pouco mais sobre seus trabalhos. Além de dar cursos livre de xilogravuras em universidades, palestrar e vender xilos, ele ainda tem o Projeto Natividade de Xilogravuras Vai Às Escolas, onde trabalha com crianças a partir dos dez anos.  Quem teve acesso a nova agenda da Uefs conhecerá o seu belíssimo trabalho.



Xilogravura de Natividade é  capa da agenda da UEFS.


2ª Comunidade:   Preto e Branco - Fotografia





Descrição:   Um espaço para amantes e admiradores da fotografia em preto e branco.
Tudo ao alcance dos que compreendem a essência e a força do P&B.


O exercício de fotografar em Preto e Branco, muitas vezes, envolve a angústia de não se obter aquela desejável foto, no momento em que consideramos oportuna. Embora tenha paixão pela fotografia colorida, a P&b simplesmente me arrasta para o lado negro da força pela sua ligeira complexidade.



Não sou fotógrafa. Apenas fiz um curso para conhecer melhor e renovar meus votos amorosos. Nesse período, tive a oportunidade de subir o Morro de Pé de Serra, em meio a vacas, bois marrentos e escaladas dignas de alpinistas (bem exagerada). Por conta dessa aventura, tenho poucos registros interessantes nesse lugar. Tenho mais de São José, distrito que fica bem próximo daqui. Lá se faziam presentes meus alvos preferidos de fotografia p&b: idosos. Imensurável prazer que sinto quando fotografo-os. Seus olhinhos, por vezes perdidos no tempo, me torna mais humana e com uma imensa vontade de viver.



Moradora de São José



3ª Comunidade:  I Love Bachata






Descrição: Você curte bachata?
A bachata é um ritmo musical originário nas favelas da República Dominicana na década de 60. Considera-se um híbrido do bolero (sobre tudo, o bolero rítmico) com outras influências musicais como por exemplo o cha-cha-cha e o tango.
Cantores
Os principais cantores/grupos de bachata são Thalia, Aventura, Toby Love e Juan Luis Guerra, além de outros como Nueva Era, Mark Guevara, Alma Encendida, Monchy y Alexandra, Zacarías Ferreira, Fran Reyes, Elvis Martines, Luis Miguel del Amargue, Joe Veras, Ríos de Fuego, Xtreme e El Vinny (Tu Melón).



Para os mais chegados, minha adoração pela Bachata não é nenhuma novidade. Ela é, dentre os outros tantos ritmos da dança de salão, o que mais me fascina. Que me dá um ‘tremelique’ na perna só de ouvir uma música tocar, de um jeito que nunca vi igual. É a hora do baile que eu conto os minutos para que chegue logo. É uma sensação única, atemporal. O vídeo abaixo mostra uma Bachata no nível mais avançado, mas dá pra se dançar tranquilamente. Dançando nesse ritmo ou no seu, o importante é se mover.


http://www.youtube.com/watch?v=2cehkSxOLNA





Danielli Gomes é curiosa por natureza e publicitária por formação. Sempre desejou escrever uma micro biografia em 3ª pessoa, e quando surgiu a oportunidade não soube o que dizer.

1 comentários:

23 de outubro de 2011 07:14 Cris disse...

Adorei, Dani!Não sabia que vc, além de uma excelente dançarina era uma ótima blogueira! Tô Seguindo! Bjs

Postar um comentário