2011; o ano de Dilma, da Maconha e do Barcelona

|por Paulo Moraes|

Mais um ano que termina e como um milagre já vem outro cheio de esperanças. Como Historiador, entendo que a melhor comemoração que os Seres Humanos inventaram foi a contemplação do Tempo, ou mais conhecida como Réveillon. É claro que este rito nem sempre foi comemorado entre os dias 31 de Dezembro e 1º de Janeiro, além que depende de que calendário estamos falando; Cristão, Judaico, Islâmico, Chinês e por ai vai. O que importa nessa lógica, seja qual for a Cultura, que todas estão há contemplar o Tempo. E sempre que contemplamos o novo, vem à necessidade de fazer uma reflexão sobre o velho.

Neste espírito faremos um breve balanço do que foi o ano de 2011, que abriu a segunda década do novo milênio. Focar-nos-emos no que entendemos terem sido os três assuntos mais importantes do ano; o Governo Dilma, o debate entorno Legalização da Maconha e a Mágica que o Barcelona resgatou para o bem do Futebol. Pode se perguntar, e a Primavera Árabe? Internacionalmente o principal assunto do ano, mas nesta reflexão ela ficará de fora, mas muitos falarão sobre ela.

O Governo Dilma que termina o ano com aprovação recorde, como nunca antes vista na História do Brasil, conquistou isso a partir de duas frentes; a continuidade sem ser igual ao Governo Lula e o fraco desempenho da oposição ao Governo. Dilma foi uma grande Estadista neste seu primeiro ano, apesar de toda a tentativa frustrada da “Grande Imprensa” de desestabilizar seu Governo com as mais diversas matérias sobre Corrupção, mas o Brasil segue seu caminho de consolidar a Hegemonia Burguesa Capitalista. Essa movimentação midiática até tentou virar um Movimento Social, muito semelhante com as Marchas da Família dos anos 1960, mas é claro que a “Classe Média Idiotizada” só que ir para rua em dias de Feriado e sem Partidos.

Minhas divergências com o Governo são enormes, principalmente quando olhamos para o que significa este Projeto de Brasil (iniciado com Lula), entretanto o Campo da Esquerda Brasileira ainda não soube dar grandes respostas ou trazer questões para essa nova conjuntura, ao fim sempre ficamos no rodapé da Grande Imprensa. O Projeto encampado pelo Governo Dilma muito se assemelha ao projeto Demo/Tucano (iniciado com Collor), mas tem fatores que os colocam em oposição, mas precisamos entender que essa oposição não é Programática e sim Pragmática. É muito mais um show televisivo que realmente outra proposição para o Brasil, na verdade é a busca pelo aparelho de Estado e a apresentação de um Liberalismo menos Social.

Assim a Presidenta Dilma teve um belo ano, o país vai crescer, o emprego tá em alta e cada vez mais o Brasileiros se acomodam na Sociedade de Consumo. 2012 é ano Eleitoral e isso significa muita coisa, ainda mais que o pleito do novo ano será Municipal e será essa Sociedade do Consumo que decidirá. O grande vitorioso será o Governo e o Grande derrotado os Demo/Tucano, entretanto como ficará a esquerda no meio disso? Isto é algo que não sei responder.

2011 também foi o ano das Marchas, teve de tudo; Contra a Corrupção, das Vadias, pela Terra, por Moradia, da Liberdade e talvez a que mais se debateu em 2011 a Marcha da Maconha. Essas movimentações nos alegram, apesar de que precisamos entender que cada Marcha é uma Marcha, mas já é o povo em Movimento. O Movimento Marcha da Maconha não nasceu em 2011, mas foi neste ano que ganhou mais repercussão e não foi só nos Jornais. O Maio verde foi uma grande movimentação, muitas cidades brasileiras organizaram a Marcha, em algumas a Justiça liberou e o povo foi para rua, em outras a Justiça proibiu e o povo foi para Rua, mas o aparato Policial do Estado interveio para manutenção da Ordem. O tiro saiu pela culatra, daí nascia a Marcha pela Liberdade, em que as pessoas foram à rua exigir o Direito de Protestar. O ano de 2012 será um Grande ano para as Movimentações em prol da Legalização/Regulamentação da Maconha, pois em ato histórico o Supremo Tribunal Federal (O mesmo que Barrou o Ficha Limpa) legalizou o direito de ir para às ruas para exigir mudanças na Lei de drogas Brasileira, ou seja em 2012 nenhum Juiz Fascista poderá proibir que o Povo vá para as ruas e faça o debate com toda a Sociedade.

Para finalizar este balanço não tem como não falar do Barcelona, que também não é de hoje que vem fazendo isso, mas o ano de 2011 foi um presente para os amantes do Futebol. O time Catalão nos mostrou que é possível ser Campeão jogando Bonito e que o principal não é vencer e sim Jogar Melhor que seu Adversário. E acabou com a história do Futebol de resultado, tão aclamado no país do Futebol depois de 82/86, ao despachar o Melhor time do Brasil num baile no Japão. O Santos não passou vergonha, apenas viu como se joga Futebol.

Assim encerramos este balanço e esperando um 2012 de muitas Lutas e esperanças para todos e todas nós.

5 comentários:

1 de janeiro de 2012 06:05 Tulio Barros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
7 de janeiro de 2012 11:41 Eduardo Leite disse...

Parabéns pelo artigo.Permita-me discordar em relação ao seu parecer sobre o bom ano do governo Dilma.Na minha ótica, não vi diferença entre esse governo-continuação do demagógico e corrupto Lula,ambos extremamente parecidos com o lamentável governo tucano-FHC.Governo que privilégia o capital e é leniente com os corruptos,seja de direita ou se denomine de esquerda,deve,ser combatdo com todas as letras e meios legais.
Att,

Eduardo Leite

7 de janeiro de 2012 13:14 Cannaps disse...

Caro Eduardo

Concordo com as criticas, a questão é que meu olhar sobre o Governo Dilma não foi nesse viés, fui buscar outra visão, que na verdade é uma critica a nós que estamos na Oposição pela Esquerda, pois com tudo isso que diz nada mudou.

Abraços
Paulo Moraes

8 de janeiro de 2012 04:38 alexandre clistenes disse...

Alguns missivistas cometem o mesmo erro de outros que se dizem "oposição radical" que é considerar o PSDB e o PT a mesma coisa. As diferenças se iniciam no próprio programa dos partidos onde de cara o PSDB fala em diminuição do tamanho do Estado (privatização) e o do PT diz que em países em desenvolvimento a participação do Estado deve ser ampla. Quem foi pelo mesmo caminho, como a Heloisa Helena, sumiu da política (a Marina ta sumindo aos poucos). Dizer que está tudo ótimo no governo do PT é ingenuidade, mas dizer que está igual ao governo do PSDB é no mínimo recalque.

9 de janeiro de 2012 12:39 Aníssima Duarte* disse...

Viva o inesperado! Inesperado? Façamos nossas previsões, chamemos os videntes, os cocotas e todos que estão (ainda nesta altura do campeonato) esperando o barco afundar para nele subir novamente e metê-lo sobre as pedras...Que metáfora lombrante...Mas vá lá!Não sou fâ da Dilma, mas agora eu tenho um notebook, será que ano q vem poderei ter um corolla? Depois, quero um importado e depois...Não vou mais ás ruas...ganhei um cargo de confiança no governo...não vou mais lutar por nada, está tudo maravilhoso. Maconha, hein? Se compra em qlq esquina, deixa como tah q tah bom! Feliiiz ano noovo gente, tuudo noovoo, uhuhu...avante Brasil!
Ironicmodeon#

ótimo texto!

Postar um comentário